...

Palavras despejadas, as vezes sem o menor nexo aparente, com um sentido um tanto ausente.Um blog de uma pessoa romântica, mas um tanto fria, de uma pessoa sedenta da sua companhia.

sábado, 6 de julho de 2013

A devoradora de ócio

A devoradora de ócio anda passando fome, não encontra mais seu alimento predileto, não há o que devorar... 
A devoradora de ócio de predadora virou presa, presa ao tempo que passa e a deixa sem graça, sem animo, sem tempo de ir refleti no banco daquela velha praça, presa nas dores que acometem  seus nervos, presa nas obrigações que é ser gente grande, presa em seus sentimentos que são um emaranhado de emoções.
Tick tack, hoje em dia tudo gira em torno de um relógio, até a hora de ir no banheiro é programada, comer só 20 minutos, em casa tenta fazer tudo de vez  porque nada fez.
O tempo corre macio , mas demora até isso acontecer, primeiro ele vai correndo devastadoramente passando e engolindo a gente,quando vemos já estamos na barriga desse tempo, que as vezes nunca nos vomitará.
Todo mundo muda sempre, só não muda quem já morreu, a vida mesmo muda e o tempo continua correndo, nunca devagar nem quando você pensa que ele parado estar, escravos do tempo, porque quando ele parece não passar e o tédio aparece você se esmorece,  e quando ele corre naqueles bons momentos você se entristece. 


                             A devoradora de ócio que antes reclamava por não ter o que fazer com tanto ócio, hoje estar a passar fome, ser humano inconstante que não decide o que quer, tipico. Saudade do ócio, mas sei que se ele estivesse aqui ela mandaria ele pastar.

Nenhum comentário: