...

Palavras despejadas, as vezes sem o menor nexo aparente, com um sentido um tanto ausente.Um blog de uma pessoa romântica, mas um tanto fria, de uma pessoa sedenta da sua companhia.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Ja que nao te tenho por perto vou tomar um sorvete pra alegrar meu dia ♫

Um grãozinho de areia perdido na imensidão de alguma praia em um profundo oceano a ermo...

Decaindo...

Estava pairando sob as nuvens, perdida na imensidão do paraíso, brincava de pular nuvem por nuvem, sempre muito alto, o alto que causava-lhe medo, porem em sua companhia o medo se esvaia. Era novo e diferente, era algo bom e sempre presente em tudo na sua vida, queria mesmo era deixar todo aquele sentimento e aquela paz, a vibe boa, intacta. Queria prezar o máximo que pudesse, queria por sua vida toda. Queria morrer em cada despedida. Sonhava em nao mais se despedi e fazia planos. No fundo algo apitava, la dentro seu sistema defensivo alarmava para ir mais devagar com tudo isso, mas nao conseguia controlar, perdeu as rédias dos sentimentos, nao queria mais saber da razão. De novo aquele pobre coração esnobava o cérebro, dessa vez nao tanto ja que ate o se cérebro estava apaixonado. Ela conseguiu voar , voar alto, subi que nem Ikaru foi em direção ao sol, sabendo que ia se queimar, quis se queimar, se queimou, chorou, muito alto, tudo em demasia, pensou nao suportar mais a dor, mas suporta, suporta sim ,gente.
Antes quem voava, agora anda, anda com uma certa dor amarga no lado esquerdo do peito, uma sensacao de que nao esta completa, pensa que perdeu suas asas, pois nao consegue mais voar, nao consegue mais ir pro alto. O medo voltou? Sem você tudo e escuro , nada e seguro, vejo ela sem rumo, nao consigue mais voar. Ela pensa em consertar sua asa quebrada e descansar como diria o Renato Russo, porem nem isso hoje da, hoje nao dar.
Antes quem voava, agora anda, anda tropega, caindo, sentindo dor. Coisas da vida, eeh assim, tenta se conformar, sabe que tem que passar por isso para se recuperar, nao sabe se vai consegui voar novamente, no fundo sabe que tudo passa, mas nao quer ficar sem voce. Nao se sente bem assim.

Um comentário:

Waldemar Queiroz disse...

Voar é cool, mas tem seus riscos. O fato de estar no solo, significa que houve um pouso; mesmo nao sendo um pouso tranquilo indica sobrevivencia e isso é muito importante.O detalhe, quem voa, voa sempre. Se torna um vício bom. Não importam as turbulencias, as windshears, os crosswinds e stalls. Quem voa, enfrenta tudo. Inclusive os mais primitivos medos. Voar personifica a liberdade em alto grau; entao, o melhor é fazer um overhaul,ir para a taxiway, chegar na cabeceira, encher a mão e decolar de novo. Quem pertence aos céus, é um pouco anjo e demonio.(k sempre dualidades né?) e estranha quando tem que andar. Bom, as pernas foram feitas pra isso, acredito. keep writing and your soul will be free. always...