...

Palavras despejadas, as vezes sem o menor nexo aparente, com um sentido um tanto ausente.Um blog de uma pessoa romântica, mas um tanto fria, de uma pessoa sedenta da sua companhia.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Viva la vida

Bom aqui estou de novo. Ano acabando e todo mundo ostentando uma felicidade falsa, um clima falso de familia q durante o ano todo nunca existiu... Bom que se foda. Não vim falar disso.
Eu vir aqui só porque esses tempos eu tenho pensado muito, muito. Muito em mim, nas minhas atitudes, no que tenho feito e no que tenho deixado de fazer. Eu acho que estou amadurecendo, não sei se é ilusão. Mas penso que sim. E me sinto normalmente descolocada no meio de pessoas com atitudes diferentes. ERM. Atitudes que eu propia ja tive e que agora não vejo sentido nisso tudo. Acho que cada um tenho o direito de fazer o que bem quer. Eu decidir mudar minha vida, não radicalmente, talvez não aparentemente, erm não gosto muito de pensar na minha vida em si. Corro leguas da depressão. Eu lembro quando chorei pela confusão que criei, lembro da dor da faca que sentir quando resolvir desistir. E hoje eu não desistir eu apenas decidir ir por um outro caminho, um caminho mais calmo. realmente eu doeii meu coração, mas cada vez que eu entregava ele em uma bandeja, você fazia questão de bulinar as feridas que estavam cicatrizando. Você implorou que eu não saisse e eu sair. Eu implorei que não fosse. Você foi. Isso virou um ciclo, ciclo tendecioso com finais comuns. Dai que o brilho simplesmente se acabou. Tentamos lhe dar com a diferença em vão. Tentei lhe dar meu coração e esquecir que ele ja não me pertencia. Mas como sempre a maioria das coisas se não todas,tem um lado bom. Esse ano eu aprendir uma coisa com uma amiga do basquete. A gente nunca perde tempo com nada nem ninguem, só nos acrescentam, basta saber olhar com outros olhos. Eu aprendir muito esse ano. Aprendir de mais com você. E as experiencias obtidas esse ano valeram apena. Pessoas maravilhosas que conhecir, reencontrei, reconhecir, rebusquei, achei, me esbarrei na rua, ou as que me acharam. Com cada uma delas eu aprendir algo e sei que deixei algo também. Vamos viver a vida.

Nenhum comentário: